Ghost Interview

O Co-founder do Monday.com

Conheça Eran Zinman, co-fundador da plataforma de US$ 1,9 bilhão

Published

on

Você já deve ter visto alguns anúncios no Youtube de pessoas falando “Antes do Monday.com…”, contando suas dificuldades e como a utilização da plataforma foi uma virada de chave importante para eles. Bom, essa plataforma aberta chamada Monday.com permite você criar as ferramentas necessárias para executar todos os aspectos do seu trabalho. A empresa, antes denominada “dapulse”,  foi fundada em 2012 por Eran Zinman e Roy Mann e levantou US$ 1,5 milhão em financiamento inicial naquele ano. O produto foi lançado comercialmente em 2014 e algum tempo depois os co-fundadores decidiram trocar o nome da empresa para Monday.com. Segundo eles, a troca para o nome do primeiro dia da semana útil remete a um bom entendimento do seu público e ao objetivo de levar o software para todos. Em Julho de 2019, a empresa israelense levantou US$ 150 milhões, com base em um valuation de US$ 1,9 bilhão, e dois anos depois abriu seu capital. 

Eran Zinman, co-fundador do Monday.com é o nosso convidado do Ghost Interview de hoje e nos conta sua visão sobre empreendedorismo, erros, aprendizados e indústria tech!


Já existiam outras soluções no mercado quando vocês criaram o Monday.com, qual foi a visão de vocês ao construir a plataforma?

Mesmo tendo outras ferramentas no mercado, sentimos que podíamos construir algo grande e sabe, eu sempre gosto de nos comparar! Se você sabe que o Salesforce é uma ferramenta essencial para sua equipe de vendas, nós queremos que o Monday.com seja essa ferramenta também. 

(Entrevista Monday.com – 2020)

Que conselho você daria a si mesmo quando começou? 

Não tenha medo de falhar. Tentei muito não cometer erros e ser bem-sucedido , mas esse é um ótimo exemplo de como não se tornar bem-sucedido. Eu dizia a mim mesmo para abraçar os fracassos e aprender com eles. Essa é a principal coisa a adotar ao iniciar uma empresa. 

(Startup for Startup)

E qual conselho você evitaria? 

Algo que eu evitaria é aceitar o conselho das pessoas como se fosse uma ‘verdade absoluta’. Quando começamos, as pessoas nos diziam que estávamos operando em um mercado superlotado, que a empresa não funcionaria sem uma equipe de vendas, que a adoção de baixo para cima não é o caminho certo, etc… Uma parte de nossa mentalidade é que estamos sempre tentando levar as coisas com um grão de sal e ver o que faz sentido para nós.

Isso é algo que aprendi sobre mim também: as pessoas dão conselhos fora de seu próprio contexto. Eles só sabem o que sabem, e cabe a você descobrir o que os levou a lhe dar um determinado conselho. Não tome nada como está, tente entender a lógica por trás disso. Também aprendi que ser pessimista pode fazer você parecer inteligente, mas os verdadeiros vencedores são otimistas.

(Startup for Startup)

O que é um grande diferencial da Monday.com do ponto de vista de eficiência e produto?

Muitos clientes sugerem mudanças, então tentamos entender qual é o problema subjacente, pensamos qual é a melhor maneira de resolver. Não pensamos “ah vamos fazer isso no segundo semestre”, não, tentamos descobrir algo que já podemos fazer amanhã para causar impacto! 

No final do dia é um jogo mental, tudo parece complexo no início, mas se você encoraja a empresa a executar rápido, a cometer erros, e tenta simplificar para “qual é o valor que você quer fazer com esse recurso?” e focar nisso…uma grande mudança acontece na empresa! 

(Entrevista Monday.com – 2020)

Quais tecnologias atuais ou futuras você acha que têm o potencial máximo para acelerar a transformação digital corporativa?

Big data está se tornando cada vez mais impactante. Ao extrair insights qualitativos e quantitativos de nossos dados, aprendemos como projetar e desenvolver tecnologias melhores. Isso educa empresas de todo o mundo a criar produtos agradáveis ​​e intuitivos que as pessoas adoram usar e, portanto, podem obter melhores resultados.

(The Digital Enterprise – 2018) 

Nos conte um fracasso que te ensinou muito! 

Eu tenho milhões. Antes de começar a Monday.com fechei uma startup, e meu maior fracasso foi ter criado um produto que ninguém queria. Trabalhei nele por mais de um ano e tinha muitos equívocos na minha cabeça – que o produto tinha que estar totalmente pronto antes de ser lançado, que precisava ser melhorado, que muitos recursos estavam faltando etc…

Falhem com frequência, obtenham feedback com frequência e, em seguida, construam algo que as pessoas realmente desejam, em vez de investir muito na construção de tecnologia escalável ou uma infraestrutura super impressionante, porque ninguém se importa! 

Uma grande parte do nosso DNA na Monday.com é abraçar o fracasso. Queremos avançar rápido porque entendemos que a execução é uma grande parte do sucesso. Significa que você está confiante, significa que você sabe o que está fazendo e que pode absorver o fracasso – todas essas coisas que não tínhamos feito no passado.

(Startup for Startup)

Qual é a indústria, setor ou função para a qual sua tecnologia é mais relevante?

Curiosamente, nossa plataforma abrange mais de 200 setores verticais diferentes, 70% dos quais são do setor não especializado em tecnologia. Empresas em todos os espaços que você possa imaginar, de hotéis a empresas de construção, universidades a agências governamentais, todas têm um tremendo sucesso com a Monday.com  de maneiras nunca esperadas.

(The Digital Enterprise – 2018) 

Qual era a visão de vocês ao abrir capital? 

Não estávamos nos preocupando com o preço de negociação da empresa no primeiro dia. Escolher nossos investidores como aliados de longo prazo era a prioridade da empresa. O quanto vai estourar é irrelevante quando você constrói uma empresa para o futuro de longo prazo. 

(Entrevista Forbes – 2021)

O que foi essencial para você nessa jornada empreendedora que você indica para atuais empreendedores? 

Eu acredito muito em ser positivo . É importante levar todos os dias com uma perspectiva aberta e boa. Seguir em frente e ser grato pelo que você tem é fundamental e uma grande parte disso é cercar-se de pessoas positivas e ser positivo.

(Startup for Startup)

Compartilha com a gente um livro que influenciou sua vida! 

Eu gosto do livro ‘The hard thing about hard things’. A maioria das pessoas tende a falar em ‘alto nível’ sobre o que você precisa fazer em sua empresa. Mas aqui está um fundador que dá conselhos práticos e compartilha situações da vida real que podem ajudá-lo a lidar com as coisas pelas quais você passa como fundador.

(Startup for Startup)

Continue Reading
300x250

Posts recentes

Categorias

Trending

Copyright © 2021 Morse News