News

Google Pay tem aval do BC para ser instituição de pagamento no Brasil & OpenAI anuncia ChatGPT 

Alexa, da Amazon, terá histórias de ninar geradas por inteligência artificial

Published

on

/What´s Up?

O que agitou os últimos dias em nosso mercado

01/ Google Pay, carteira digital do Google, recebeu autorização do Banco Central para funcionar como instituição de pagamento no Brasil 

A Google Pay funcionará na modalidade de iniciador de transação de pagamento (ITP), num movimento que demonstra o apetite de uma das principais big techs por serviços financeiros no Brasil.  A Instituição de Pagamento terá capital social de R$ 96 milhões e os controladores são Larry Page e Sergey Brin. Em nota, o Google disse que a autorização “representa mais um passo em nossa estratégia de oferecer mais opções de pagamento aos usuários por meio de nossas plataformas no Brasil.”

02/ OpenAI anuncia ChatGPT, seu protótipo de chatbot de IA que ganhou muita força entre o público por suas respostas detalhadas e semelhantes às de humanos

Considerado uma das tecnologias mais disruptivas, o ChatGPT já conta com mais de 1 milhão de usuários. O ChatGPT usa a tecnologia de linguagem GPT-3.5 – um grande modelo de inteligência artificial feito pela OpenAI que foi treinado com uma enorme quantidade de dados de texto de várias fontes. O serviço, que está disponível gratuitamente, possui várias funções diferentes, incluindo responder perguntas, resolver equações matemáticas, escrever textos, depurar e corrigir códigos, traduzir entre idiomas, criar resumos de textos, fazer recomendações, classificar coisas e explicar o que algo faz, como um bloco de código. Ele não faz pesquisas na internet nem faz cruzamento de dados externos. Todo o seu raciocínio é feito a partir das informações de texto que foram inseridas nele. Inclusive, quando perguntado, o próprio ChatGPT explica que é incapaz de criar novas coisas, apenas interpretar e esclarecer com base no que já sabe.

03/ Alexa, da Amazon, anuncia recurso ‘Create With Alexa’ que cria narrativas únicas geradas por IA a partir da seleção dos usuários por temas e personagens

A Alexa, assistente de voz da Amazon, criou um recurso que pode ser útil para pais e mães. O Create With Alexa passou a permitir a criação de histórias de ninar geradas integralmente por inteligência artificial. O recurso usa IA conversacional e generativa para criar histórias únicas depois que os usuários selecionam um tema, personagem e palavras-chave.  Com a Amazon embarcando na mania generativa da IA, alguns especialistas dizem que a empresa criou salvaguardas para garantir que a tecnologia não esteja jorrando nada inapropriado para os ouvidos jovens, e o Create With Alexa pode ajudar a promover mais experiências compartilhadas para crianças e pais. Mas os pesquisadores de IA também alertam que as histórias feitas com IA generativa podem confundir a compreensão das crianças sobre as capacidades e a inteligência da IA.

/Following Up

Aquelas notícias que merecem um retorno

04/ Novo relatório mostra que os usuários jovens estão cada vez mais recorrendo ao TikTok para conteúdo de notícias, personalidades influentes são as grandes fontes de informação 

O último relatório do Reuters Institute analisou como as pessoas estão usando o TikTok para conteúdo de notícias e quais fontes estão desempenhando um papel na formação de suas opiniões no aplicativo. Agora, o público mais jovem depende mais de seus influenciadores favoritos para atuar como uma espécie de filtro para ajudar a destacar as notícias de maior relevância. De olho neste movimento, cerca de metade (49%) dos principais editores de notícias agora publicam conteúdo regularmente no TikTok. 

05/ Disney+ estreia versão com anúncios com 100 marcas como Google, Verizon, Walmart, Procter & Gamble e Nintendo

Foi lançada na última quinta-feira, 8, nos Estados Unidos, a versão suportada por anúncios da assinatura do Disney+. Nas negociações, também foram envolvidas as holdings de publicidade como Publicis Groupe, Dentsu, IPG, Omnicom e WPP. Não há uma categoria predominante entre os anunciantes porque o desejo da companhia era exatamente ter um mix de marcas diversificado. O movimento do Disney+ segue a estreia da Netflix nos anúncios no mês passado. A gigante do streaming anunciou sua ambição de introduzir anúncios na plataforma em abril. Inicialmente, o projeto só entraria no ar mais a frente, mas foi adiantado. Assim como a Netflix, o Disney+ não vai veicular publicidade em perfis infantis e conteúdo pré-escolar. 

/Coming Up

Radar do Morse sobre novas tendências, produtos e serviços

06/ Apple anuncia o Apple Music Sing, recurso karaokê disponível aos usuários do Music similar ao já existente no Spotify

O Sing, semelhante ao modelo do Spotify ‘Sing Along’,  permite aos usuários cantar suas músicas com vocais ajustáveis e letras em tempo real. Ele ainda oferece várias visualizações de letras para ajudar os fãs a assumir o vocal, fazer duetos, fazer backup de cantos, entre outros. O Apple Music também lançará um conjunto com mais de 50 playlists com todas as músicas épicas, duetos, refrãos e hinos que têm atraído pessoas de todo o mundo a cantar – totalmente otimizadas para a experiência do Sing. O recurso estará disponível para todos os assinantes no mundo todo ainda em dezembro e poderá ser acessado no iPhone, iPad e no novo Apple TV 4K. 

07/ Americanas anuncia que o Submarino, e-commerce voltado para tecnologia, livros e games, terá espaço no mundo físico após 23 anos de operações online, através da abertura de franquias de quiosques

De acordo com a  Anna Saicali, CEO da Ame e da IF – Inovação e Futuro, motor de inovação da Americanas S.A, a empresa unirá a experiência da marca no universo digital com a força do  Grupo Uni.co (adquirira pela Americanas em 2021) como franqueadora, experimentando esse novo modelo de negócios que tem foco em fortalecer o pilar de inovação do gigante ecossistema. O público da marca Submarino é muito engajado e tem uma recorrência alta. A expectativa é que a loja física aproxime ainda mais a marca dos consumidores. O modelo de quiosque é uma alternativa aos pequenos e médios empreendedores, permitindo uma operação mais acessível e em locais onde não é possível atuar com uma loja convencional. 

/Gaming Up

Tendências, dados e notícias sobre o universo gamer para marcas. Projeto em parceria com a TripleA.Games

08/ Brasil lidera investimentos, fusões e aquisições nos games e e-sports. Mercado nacional já ultrapassa R$ 7 bilhões em receita

Segundo a PwC, o mercado nacional de games e e-sports deve dobrar nos próximos cinco anos, chegando a R$ 13 bilhões. A Newzoo também aponta que o Brasil é o terceiro país com maior audiência em jogos eletrônicos do mundo. O aquecimento do setor e a relevância dessa indústria refletem em negócios onde o Brasil tem protagonismo. O ano de 2022 foi um dos mais movimentados em termos de fusões, aquisições, investimentos e surgimentos de novas empresas especializadas em games e e-sports. Essa dinâmica se deu também pelo crescimento do interesse em tecnologias emergentes como NFT e outras associadas à Web3. No ecossistema de desenvolvedoras e estúdios, a Associação Brasileira de Games (Abragames) contabilizou, nos últimos quatro anos, um crescimento de 169% fazendo com que o número de estúdios salte de 375 para 1009.

/Cashing Up

Deals que movimentaram o mercado

POLAND – 2021/02/19: In this photo illustration a Microsoft logo seen displayed on a smartphone with stock market values in the background. (Photo Illustration by Omar Marques/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)

09/ Microsoft anuncia a aquisição da Lumenisity, startup que desenvolve cabos de alta velocidade para transmissão de dados

A startup sediada no Reino Unido que desenvolve tecnologias de “fibra de núcleo oco (HCF)” principalmente para data centers e ISPs. A Microsoft diz que a compra, cujos termos não foram divulgados, expandirá sua capacidade de otimizar ainda mais sua infraestrutura global de nuvem e atenderá a plataforma de nuvem da Microsoft e os clientes de serviços com requisitos rígidos de latência e segurança. 

10/ Startups latinas captam US$ 627,5 mi em novembro; menor volume de funding em 2022. Apesar da queda, houve o maior número de rodadas do ano, com 137 negociações fechadas

O levantamento LatAm Activity Report, do Sling Hub, analisou que novembro foi o mês com o menor valor médio de rounds (US$ 6,4 milhões), menos que a metade da média anual, de US$ 13,7 milhões. Os US$ 627, milhões captados representam uma redução de 34% em relação com outubro, e 58% comparado com o mesmo período do ano passado. A modalidade de venture debt vem ganhando destaque e foi responsável por 49% do volume levantado no último mês. Apesar da queda em novembro, houve o maior número de rodadas do ano, com 137 negociações fechadas, um salto de 19% em relação ao último mês e de 44% ano após ano.

Continue Reading

Trending

Copyright © 2021 Morse News