Novidades e alternativas aos Marketplaces

29 de setembro de 2019 Off Por morse

Parceria entre Hands Mobile e Globo leva conteúdo para Redes WiFi

A Hands uniu-se à Globo para criar o projeto que tem como objetivo transformar hotspots WiFi de pontos como Aeroportos, Shoppings, Estações Rodoviárias, Metros etc, em verdadeiros portais de conteúdo e serviço. Intitulado G1 WiFi, o projeto nasce com curadoria de conteúdo jornalístico em 4 atualizações diárias, formato mobile friendly (pílulas de 1 minuto) e possibilidade de patrocínio para Anunciantes.


Anunciantes gastarão muito na Amazon em 2020, prevê Forrester

O setor de ads da Amazon está crescendo e deve receber mais investimentos em 2020. Segundo os analistas da Forrester, a Amazon estrategicamente se aproximou das principais agências americanas, oferecendo programas especiais e parcerias de dados exclusivas. “2017 foi o ano em que as marcas testaram as águas da Amazônia, 2018 foi sobre as marcas que estão levando a sério o uso da Amazon como canal de anúncios, e 2019 será a transição para a Amazon como um dos principais canais de anúncios para muitos”, disse o gerente geral da Kenshoo, Oren Stern. Em 2018, a receita de publicidade da Amazon teve crescimento de 117%, indo US $ 4,6 bilhões para US $ 10,1 bilhões. Os valores ainda não representam uma ameaça real aos grandes players, como Google e Facebook, mas merecem atenção.

Locaweb compra Delivery Direto

A Locaweb adquiriu a Delivery Direto, empresa que desenvolve aplicativos de entregas e gestão para restaurantes. Criada em 2016, a partir de uma operação da Kekanto, a Delivery Direto busca ajudar os estabelecimentos a terem alternativas aos apps de marketplaces, que cobram comissões de 10% a 30%. Segundo Luis Carlos dos Anjos, gerente de marketing da Locaweb, um app próprio do restaurante permite que ele gaste menos em cada pedido e faça a gestão completa do cliente. Isso cria possibilidades para trabalhar promoções, programas de fidelidade, entre outras iniciativas. Atualmente, a empresa possui mais de 1,2 mil clientes.

Berlim tem aplicativo único para todos os transportes públicos

A capital da Alemanha, Berlim, está usando um aplicativo para promover o uso de todas as formas de transporte urbano – exceto o carro particular – enquanto corre para frear os congestionamentos na cidade. O app, chamado Jelbi, oferece aos cidadãos várias opções de mobilidade como um serviço integrado. O Jelbi é gerenciado pela BVG, empresa responsável pela malha de transportes em Berlim. No aplicativo os serviços de metrô, ônibus, trem, patinetes, compartilhamentos de carros, bicicletas, táxis e micro-ônibus estarão disponíveis. Todos os serviços parceiros devem ser totalmente integrados ao Jelbi. Isso significa que os usuários podem pagar por todas as opções de mobilidade na plataforma com apenas um registro – e é isso que torna o aplicativo tão único!

Carros e imóveis poderão ser comprados com pagamentos instantâneos

Está nos planos do Banco Central a aplicação de pagamentos instantâneos para compras de alto valor, como carros e, até mesmo, imóveis. A iniciativa será chamada de “pagamento por documento”, e está prevista para a nova plataforma de pagamentos digitais do Banco Central, ainda em desenvolvimento. “A ideia é que a transferência de propriedade do ativo possa ser assegurada por meio da ordem de pagamento, diminuindo o risco atualmente existente nesse tipo da transação”, diz Breno Lobo, assessor sênior do Departamento de Operações Bancárias e de Sistema de Pagamentos do Banco Central. Isso significa que o documento de transferência do carro ou do imóvel seria atrelado ao pagamento realizado pela plataforma digital. Dessa forma, o vendedor receberá o dinheiro ao mesmo tempo em que o comprador receber o documento de transferência do ativo, agilizando muito o processo de transferência.

CNH agora tem validação facial

O processo de emissão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ganhou uma nova etapa de validação facial para diminuir o risco de fraudes. A partir de agora, motoristas que forem renovar o documento terão que passar por uma coleta de imagem no posto do Detran. A fotografia será enviada ao banco de dados do Sistema Nacional de Habilitação para comparação com outra imagem que o usuário já tenha cadastrada. E se o índice de similaridade entre as fotos ficar abaixo do aceitável, que é de 90%, a imagem será reprovada, o que demanda a checagem “manual” por um usuário do Detran. A tecnologia, por enquanto, está disponível apenas em no Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Acre, Pernambuco e Santa Catarina.

Waze anuncia integração com assistente de voz do Google

O Waze retornou com a integração do Google Assistente. Apesar da integração estar disponível apenas em inglês e para usuários residentes no Estados Unidos, ela já está ativa. O comando é acionado pelo reconhecimento de voz ao pronunciar a frase “Hey Google” seguido da instrução para o aplicativo. Agora que recursos estão integrados, é possível realizar comandos já conhecidos pelo Assistente como fazer chamadas, tocar músicas e podcasts, enviar mensagens para contatos, entre outros recursos. A proximidade entre o aplicativo de rotas e o Google abre novas possibilidades no trânsito além de apenas indicar uma rota de direção. A integração está restrita apenas para Android e, por enquanto, ainda não existem datas previstas para que os comandos estejam disponíveis em outras línguas, países e modelos de smartphones.

Google anuncia mudanças em sua política de retenção de dados de voz

O gigante das buscas anunciou mudanças em sua política de retenção de dados de voz. A empresa afirma que irá diminuir imensamente a quantidade de dados de áudio que armazena e promete excluir a maioria dos dados de áudio que sejam antigos. Outra mudança é um novo ajuste de sensibilidade para a expressão “OK Google”, assim os usuários podem evitar falsas respostas positivas. A empresa também diz que irá novamente perguntar aos usuários se eles desejam compartilhar seus dados de voz para melhorar o serviço. A mudança é uma resposta às notícias de que a empresa usava funcionários para escutar e analisar gravações feitas durante interações de seus usuários com o Google Assistente.


Google se recusa a pagar imprensa na França

Em outubro entrará em vigor na França uma nova lei de direitos autorais que permite à imprensa solicitar remuneração à plataformas como Google e Facebook quando estes exibirem seus conteúdos online. A lei francesa tem como base uma determinação elaborada pelos países da União Europeia, sendo a França o primeiro país e, por enquanto, único a nacionalizar a norma. Como resposta, o Google já anunciou que não pagará os editores e que, em vez disso, fará mudanças na forma como os conteúdos serão exibidos nos resultados das pesquisas.